15 de julho de 2009

"DESDE A SAÍDA DA ORDEM."

Pelo cálculo retroactivo desde o dia da morte de Jesus (26/27 de Abril de 31 A.D. - “meio da septuagésima semana”), chega-se a 28/29 de Outubro de 457 A.C., data que representa o Dia da Expiação naquele ano e o início dos períodos proféticos de Daniel 8 e 9. Todavia, se Esdras partiu de Babilónia no primeiro dia do primeiro mês (isto é, na primavera do ano), em virtude do decreto de Artaxerxes, e se ele chegou a Jerusalém no primeiro dia do quinto mês (isto é, no verão), por que razão o cômputo profético só teria se iniciado no Dia da Expiação (isto é, no Outono do ano), sendo que Daniel 9:25 claramente estabelece que as 70 semanas deveriam começar com “a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém”?
O grande problema é que a maioria dos autores têm associado a “ordem” de que trata Daniel 9:25 apenas ao decreto de Artaxerxes, sendo que, na verdade, o assunto precisa ser analisado de um ponto de vista mais amplo. Antes de mais nada, é importante perceber que a “ordem” de Daniel 9:25 parte primeiramente de Deus. É o próprio Deus Quem, acima dos governantes humanos, decreta a reconstrução da cidade. Em Daniel 9:23, a palavra “ordem” é aplicada a uma manifestação da vontade de Deus; e Esdras 6:14 claramente atribui a reconstrução do Templo a um mandado divino.
Mas isso ainda não permite iniciar a contagem dos períodos proféticos, pois é preciso que um governante humano atenda à vontade do Céu e baixe um decreto. Em outras palavras, é necessário que a “ordem” vinda do Céu encontre um decreto humano correspondente que lhe dê efectividade. Em Isaías 45:13, está escrito: “Eu, na Minha justiça, suscitei a Ciro e todos os seus caminhos endireitarei; ele edificará a Minha cidade e libertará os Meus exilados, não por preço nem por presentes, diz o SENHOR dos Exércitos.”. O decreto de Ciro traz as seguintes palavras: “Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O SENHOR, Deus dos céus, me deu todos os reinos da terra e me encarregou de Lhe edificar uma casa em Jerusalém de Judá.” Esdras 1:2. Ver também 2 Crónicas 36:22 e 23. O decreto de Ciro (538/537 A.C.), permitindo que Zorobabel voltasse a Jerusalém, foi baixado por vontade directa de Deus. Percebe-se aí uma ordem divina somada a um decreto humano. Depois disso, aparece o decreto de Dario I Histaspes, cujo objectivo foi o de confirmar o mandado de Ciro (Esdras 6). Mas, a “ordem” a que Daniel 9:25 se refere só vem a se completar com o decreto de Artaxerxes I, que não somente permitiu que os muros de Jerusalém fossem reconstruídos (Esdras 9:9) como também concedeu certa autonomia política aos judeus (Esdras 7:25 e 26).
Sendo assim, quando, de fato, ocorreu a “saída da ordem”? Essa expressão, quando relacionada a um decreto, só pode se referir ao momento em que este é assinado ou expedido. Quando foi expedida a “ordem” de Daniel 9:25? Bem, quando Deus levantou a Ciro com o propósito de libertar os cativos judeus, houve uma “saída da ordem”, mas esta ainda não estava completa, impedindo que os períodos proféticos pudessem começar. Depois disso, veio o decreto de Dario, o qual apenas confirmou as estipulações do decreto anterior. Em seguida, foi emitido o decreto de Artaxerxes, com o qual a “ordem” se completou. Mesmo assim, a contagem ainda não poderia ter início. Mas, por que não? Porque a “saída da ordem” é apenas um requisito para o início dos períodos proféticos de Daniel 8 e 9. Não basta que apenas esse requisito seja cumprido. Aparentemente, a Bíblia indica apenas a “saída da ordem” para o início do cálculo profético. Mas, quando a passagem de Daniel 8:14, que fala da purificação do santuário, é levada em consideração, percebe-se que os períodos proféticos só poderiam começar num Dia da Expiação. Esse é o segundo requisito. É verdade que ele não é tão ostensivo quanto o primeiro, só podendo ser percebido através do cálculo astronómico mas, ainda assim, é uma condição para o início das 70 semanas e das 2.300 tardes e manhãs.
Reunindo as informações de Daniel 9:25 e Daniel 8:14, entende-se que os períodos proféticos só poderiam começar no Dia da Expiação, depois que a “ordem”, em sua forma completa, fosse promulgada. Quando saiu o decreto de Artaxerxes? Em algum ponto anterior a primeiro de Nisan em de 457 A.C. Quando começaram as 2.300 tardes e manhãs? No primeiro Dia da Expiação após aquele decreto. Isso foi em 29 de Outubro de 457 A.C Assim, para uma compreensão mais abrangente do assunto, é importante que o leitor não fixe seus olhos apenas na palavra “saída” de Daniel 9:25; deve ele notar a existência de um outro requisito que também precisa ser preenchido para o início da contagem dos períodos proféticos: o Dia da Expiação.

Sem comentários: