16 de outubro de 2009

APOCALIPSE: O TESTEMUNHO DE JESUS E O ESPÍRITO DE PROFECIA - II

“Então me lancei a seus pés para adorá-lo, mas ele me disse: Olha, não faças tal: sou conservo teu e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia.” (Ap. 19:10)
A felicidade é contagiosa. A bênção maior de participar na festa reside no facto de convidar todos a nela participar.
Assim que João ouviu as palavras, prostra-se aos pés do anjo “para o adorar” (Ap. 19:10). A reacção do profeta é surpreendente. É o gesto de alguém que perdeu a postura, não se contém, tais os sentimentos que o invadem. O anjo por seu lado, apressa-se a lembrar-lhe que é apenas “conservo no serviço”. Só a Deus é devida a adoração. E para fundamentar o seu argumento, o anjo justifica-se dando razões que parecem à priori fora de contexto, “porque o testemunho de Jesus é o espírito de profecia.” (Ap. 19:10)
Esta declaração mais parece um enigma. Ela é encontrada de novo na conclusão do livro, integrada no mesmo sentido. Também aqui, segue-se uma bem-aventurança pronunciada pelo anjo e o profeta deixa-se de novo levar pela mesma emoção. Tem que ser exortado outra vez “sou teu companheiro no serviço”. O paralelismo entre as duas passagens permite decifrar a intenção do enigma: Comparar Apocalipse 19:10 com Apocalipse 22:8,9.
“Os que têm o testemunho de Jesus” corresponde “àqueles que guardam as palavras deste livro”. Por outras palavras, “o testemunho de Jesus” significa “este livro” (Ap. 22:9), quer dizer; o Apocalipse. Testemunhar de Jesus significa levar a mensagem do Apocalipse; é anunciar as profecias que concernem à salvação final do Universo. A expressão “testemunho de Jesus” deve ser compreendida no sentido de um testemunho que procede do próprio Jesus (em grego genitivo subjectivo). O “testemunho de Jesus” é aqui identificado com o “espírito de profecia”, ou seja, a inspiração do Alto é um fenómeno profético.
O texto indica explicitamente, “o testemunho de Jesus é o espírito de profecia” (Ap. 19:10). Não se pode reduzir o testemunho a uma simples ética ou a uma tradição cultural, é necessário a visita do Espírito de Jesus.
Por outro lado, numa outra passagem, o Apocalipse associa o testemunho de Jesus ao dever de observar os mandamentos de Deus (Ap. 12:17). Guardar os mandamentos de Deus, viver segundo os critérios do Altíssimo, é de facto confirmar a profecia. O “testemunho de Jesus” deve portanto compreender um sentido de testemunho sobre Jesus; é testemunhar de Jesus (em grego, genitivo objectivo). Uma vida moral e atenta ao caminho traçado por Deus, é sinal do espírito de profecia e de verdadeira inspiração do Senhor. Não se pode pretender ter inspiração profética sem esta manifesta prova de vida, sem um esforço em conformidade aos princípios do reino que é anunciado. O fanatismo, e os excessos religiosos frequentemente praticados em nome de uma autoridade “profética” fazendo apelo a uma ética e ao radicalismo são aqui excluídos. A expressão “testemunho de Jesus” deveria portanto ser tomada nos dois sentidos: “assim como o testemunho de Cristo foi confirmado entre vós” (1ª Cor. 1:6); 1) confirmado por Jesus; 2)confirmado pela Igreja.
Não é por acaso que o Apocalipse vê neste “testemunho de Jesus e o espírito de profecia” um traço fundamental “ao resto da sua semente” (Ap. 12:17). O que caracteriza as últimas testemunhas que estão sob a atenção de Deus, não é só a sua fidelidade que permaneceu a todos os desvios e a todos os esquecimentos, mas igualmente o milagre da palavra profética que os visita e continua a visitar para os iluminar no caminho nos últimos momentos da história.
Oro para que sinta a alegria que me invade em Jesus.

1 comentário:

Revelacoes Apocalipse disse...

Glória a Deus - Louvado seja Deus ótimo conteúdo .... se me permitir segue mais uma dica para leitura sobre o Testemunho de Jesus - http://www.revelacoesapocalipse.com.br/testemunho-de-jesus-espirito-de-profecia-apocalipse-19-estudo-biblico/